top of page

Shavuot: A Revelação da Torá

5784 / 2024

06 de Sivan  /  11-12 Junho

MontagemShavuot.jpg

Shavuot ocorre nos dias 6 e 7 de Siván fora de Israel. Já em Israel e nas comunidades judaicas reformistas e liberais, é celebrado só no dia 6 de Siván. Junto com Pessaḥ e Sukot, é contada como uma das três Festas de Peregrinação.

Nos tempos bíblicos, Shavuot marcava o fim da colheita de grãos, durante o qual dois pães eram trazidos ao Templo. Também havia o rito de se trazer os primeiros frutos maduros para o Templo, marcando o início de uma nova estação agrícola, que culminaria com a festa de Sukot.

Após a destruição do 2º Templo, em 70 e.c., os ritos agrícolas não tinham mais como serem cumpridos. Foi quando os rabinos fizeram conexões entre Shavuot e a Revelação da Torá no Sinai, no terceiro mês (ver Êx. 19:1), ou seja, em Siván, fixando-se a data no dia 6 deste mês.

TRADIÇÕES

Decorar a sinagoga e a casa com flores, plantas e árvores; consumir pratos à base de leite.


Por que flores?

A partir de um jogo de palavras em Ester 8:14: “E o decreto [dat] foi proclamado em Shushán,”

Este versículo é reinterpretado para significar que a Lei – a Torá – foi entregue com uma rosa (shoshán, em hebraico).

Por que plantas?

Há uma passagem bíblica segundo a qual “nem os rebanhos e manadas devem pastar diante do monte [Sinai]” (Êx. 34:3), implicando que o Monte Sinai poderia ser uma área verde.

Por que árvores?

As árvores lembram as cestas de primícias trazidas para o Templo em Shavuot, assim como o cesto de Moisés no rio Nilo, que segundo a tradição foi encontrado pela filha do Faraó em Shavuot. 

Por que pratos à base de leite?

Os antigos rabinos diziam que o mel e o leite se comparam à Torá, segundo uma passagem do Cântico dos Cânticos (4:11): “O mel e o leite estão debaixo da sua língua”. Outra explicação é que a Torá é tão essencial para nutrir a alma judaica assim como o leite materno é essencial para o bebê. 

O LIVRO DE RUTH

É costume ler o Livro de Ruth por alguns motivos:

1. A história se passa na época da colheita.

2. Ruth decidiu se tornar judia de forma voluntária; do mesmo modo, devemos receber a Torá de forma voluntária.

3. O Rei David, descendente de Ruth, teria nascido e morrido em Shavuot.

TIKUN LEIL SHAVUOT

Um costume surgido com os cabalistas místicos de Tzfat no século 16 é ficar acordado durante a noite de Shavuot estudando pequenas seções do Tanaḥ, do Talmud e de obras de Kabalá. 

O Tikun da Noite de Shavuot é um contraponto ao fato de, segundo a tradição, os israelitas terem dormido na manhã da Revelação. 

Os cabalistas também consideram Shavuot como o momento do casamento entre Deus e Israel; e da união sagrada entre os aspectos masculino e feminino de Deus. 

 

Em Shavuot, durante o serviço religioso matutino costuma-se ler na Torá as Dez Declarações (Dez Mandamentos) com uma cantilação especial. No segundo dia de Shavuot costuma-se rezar o Yizkor, conjunto de orações em memória de parentes falecidos, na qual também nos lembramos de judeus e judias mortos no Holocausto, nas guerras em Israel e em outros tempos de opressão ao longo da história. Em algumas comunidades judaicas liberais costuma-se realizar o Yizkor Noturno, em geral na segunda noite. 

Algumas perguntas a serem feitas enquanto me preparo para o Sinai: quais são os meus Dez Mandamentos – as dez regras absolutas que estou disposto a assumir para mim mesmo? Qual é o meu atual nível de capacidade nos Estudos de Torá? Qual é o próximo nível que eu quero alcançar? Em que áreas do estudo da Torá quero me concentrar no próximo ano? Que mitzvá eu tentei cumprir especialmente no ano passado? Em que nova mitzvá me concentrarei este ano?

(Rabino Zalman Schachter z”l) 

CHAG SHAVUOT SAMEACH!

Rabino Uri Lam

Fonte: Michael Strassfeld, The Jewish Holidays – a Guide and Commentary. 

GuiaShavuotCAPA.jpg
bottom of page